Luciana A. Fernandes Bittencourt

 Sempre tive uma vida sedentária e uma alimentação errada, com massas e doces, regados sempre a leite condensado. Atingi meu peso máximo, 94,4kg, em 2011. Veio então a necessidade de me exercitar; com caminhadas diárias emagreci 17kg, porém a alimentação ainda era difícil de mudar. Com a perda repentina do meu pai, em dez/11, recuperei 11k. Então, decidi fazer algo definitivo a favor de mim mesmo, que trabalhasse o corpo, mas principalmente a mente, maior carência na época. Foi aí que despertei para a corrida. Com treinos periódicos, dedicação e assiduidade comecei um novo processo de emagrecimento. Recomendada por um amigo da corrida procurei a Dra. Cristiane Coronel para trabalhar a sensação de fraqueza e dores de cabeça. Novos hábitos a adquirir e velhos hábitos a apagar. Diminuir massas e doces seriam o grande desafio. Inicialmente me soou difícil, mas não foi. Em nenhum dia me senti realmente com fome, sentia a necessidade antiga de me “empanturrar”, mas não de me saciar, de saciar a fome, era a reeducação alimentar. Sempre tinha algo para comer. Até o meu tradicional cappuccino diário foi mantido, diet, mas estava disponível. Com o exercício e a nova dieta emagreci 27kg. Fácil não foi, até porque para quem trabalha fora e tem filho pequeno sempre há o que fazer em casa. Não dava para olhar pra trás, seria desestimulante. Era focar e sair para malhar. E aí me perguntaram esses dias: o que mudou? Mudei da numeração 48 pra 40, com auxílio de cinto, rss. Mudei a qualidade e quantidade da minha alimentação. Agora como maior variedade de alimentos, menos massa, menos doce, mais verdura e frutas, cereais e bebo muito mais água. Sei o que posso comer (com disciplina) e manter meu peso. A mudança foi grande, 27 kg em 14 meses. Hoje olho e muitas vezes não me reconheço, afinal foi uma vida de sobrepeso. Mudou principalmente o olhar sobre mim mesmo, minha autoestima e minha confiança pessoal. Tenho noção exata da minha disciplina e foco, mas não teria conquistado se não fosse o estímulo, a orientação e o acompanhamento do meu treinador e da minha nutricionista.

Mudou também uma Esteatose Hepática (gordura no fígado) que há anos me acompanhava e incomodava bastante. Em exame recente verificamos que ela foi totalmente eliminada, o fígado esta zerado!”